sigo aqui focado em
disputar narrativas sobre o tal mundo
do ‘impacto’ social/ambiental

um mundo onde
várias frases feitas evidenciam
pensamentos equivocados

algumas pra ilustrar:

– só o setor privado resolverá os problemas socioambientais

– os negócios sociais vieram pra resolver o que as ONGs não resolveram

– os negócio sociais são escaláveis e as ONGs não

– os negócios sociais = CNPJ de empresas

– a filantropia e as ONGs estão ultrapassadas

– as ONGs precisam se modernizar e virarem negócios sociais

– o papel do governo neste tema é não atrapalhar

Em geral falas como esta
trazem um raciocínio linear e simplista
sobre o tal mundo do ‘impacto’

vamos lembrar que:
– há muitos tipos/formatos de negócios sociais

– há ampla diversidade de ONGs (e fundações), e não é correto afirmar que todas estão ultrapassadas nem que haja uma ‘evolução’ para negócios sociais

– o Estado tem papel fundamental nesta agenda
não só não atrapalhando
como tb fomentando esse ecossistema
(vide o ótimo exemplo de Portugal)

De fato, o debate aqui
é mais plural e complexo

embora, na prática
faça falta mais diversidade
de narrativas e iniciativas

ligue seu radar
caro(a) leitor(a)
e tire suas próprias conclusões

#impactonaencruzilhada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Penso que você vai gostar

ex-pecialista

quando eu tinha outro chapéu institucional era convidado para eventos, diálogos carregava…