Compartilhe

falta pipeline qualificado
se diz por aí

é o famoso papo do
‘sobra grana,
faltam bons projetos’

sobra grana no bolso de quem?
faltam projetos pra quem?
o que são ‘bons’ projetos?

note que o centro de gravidade
neste tipo de fala
está nos investidores

sendo assim
o que eles buscam?

em síntese:
baixo risco
com
alto potencial de retorno

uma olhada rápida nos pipelines
de aceleradoras de impacto
e investidores
e
você vai encontrar poucos
negócios de impacto na linha
‘patinhos feios’
(OSCs, cooperativas, negócios periféricos,
rurais, povos tradicionais, LGBTQ+, etc)

daí a maior presença de:
– negócios ‘escaláveis’
(tech)
– verticais ‘clássicas’
(educação, saúde, fintech, etc)
– presença em mercados mais consolidados
(leia-se: terra da garoa)

Mas
se quisermos de fato
produzir pipeline + diversificado
+ regionalizado
e + ‘colorido’

ainda há uma longa caminhada
nestas direções

e por quais trilhas seguir?

Eu ouvi:
– blended finance ?
– venture philanthropy ?
– capital paciente?
– filantropia estratégica ?

levante o capô
e veja se estamos
enxergando a mesma coisa
pois
há um ruído estranho
aqui no motor

#impactonaencruzilhada


Compartilhe